General Motors do Brasil despede-se do Monza

Com Muita emoção e já em clima de saudade, a General Motors do Brasil fez a despedida oficial do Monza, seu carro campeão de crítica e de público, por três vezes consecutivas eleito pela imprensa especializada o "Carro do Ano" da revista Autoesporte. Diante dos jornalistas e funcionários da GM, o último Monza saiu da linha de montagem nesta quarta-feira, 21 de agosto de 1996, coberto de mensagens carinhosas, escritas de próprio punho por pessoas dos diversos setores envolvidos na produção do sedan, como "Duas palavras brasileiras, Monza e Saudade", e "Quem não gosta de Monza, bom sujeito não é; não entende de carro ou não sabe o que quer". "Tinha que chegar o momento da mudança", disse melancólico o Vice-Presidente da GM, André Beer, ao comentar o que ele mesmo chamou o "Deslançamento" do Monza. O Monza teve uma vida de vitórias. Encerrou carreira com a marca de mais de 95 mil unidades vendidas no Brasil, Chile, Venezuela, China, Colômbia, Uruguai e muitos outros países, desde o seu lançamento em abril de 1982. Mostrou sua força ao abrir o mercado brasileiro para o carro de quatro portas na versão sedan. Lançado quase simultaneamente no Brasil e na Europa, ele representou a "base tecnológica" tanto para a área de manufatura quanto para a evolução da linha de veículos Chevrolet no Brasil.

Jornalista Responsável: Francisco Lelis

Data: 22/08/1996